Entrevista com Roberto Bombarde

jun 14

O Blog Novo Século entrevistou Roberto Bombarde autor do livro ‘Filho do Amanhã’.

Conheça um pouco sobre a sua história e sobre o livro que é um dos lançamentos deste mês pelo selo Novos Talentos.

NS - Quem é Roberto Bombarde?

RB - Sou um artista pequeno do tamanho exato do meu traço, com pouca habilidade com a letra e que possui um dom fabuloso. Um criador de coisas, um autor audacioso da obra. Um escritor de frases vivas e fortes. Os livros sempre serão os meus filhos, e sempre foram melhores do que eu em tudo. Aprendo mais com os livros do que aprendi com meus mestres. Não gosto de ser pressionado naquilo que escrevo, não sirvo para parafuso, nem tão pouco para polir furo. Tenho fascínio pela literatura e a tenho como minha eterna amante. Converso com as estrelas, desde criança, porquanto contemplo o brilho delas por aquele oceano negro da noite. Se quisesse escolher, queria ficar perto delas. O lugar mais tranquilo da casa sempre foi a cozinha, pois é de lá que escrevo as minhas obras. E quando estou em paz comigo mesmo, me sinto como uma criança em uma fazenda de formigas. Já minha pessoa, bem, tenho 40 anos de idade, mas por dentro me sinto como se tivesse séculos devido ao conhecimento que possuo. Resido em uma cidade pequena chamada Dracena, que fica quase em divisa ao Mato Grosso do Sul.  Uma cidade pacata, embora com poucos recursos. Porém as pessoas são amigas e hospitaleiras, e me relaciono muito bem com elas, de acordo com a minha discrição.

NS - O que você está lendo atualmente?

RB - De momento, estou lendo livros religiosos, a Bíblia, e me dedicando em uma profunda pesquisa para o meu segundo livro,”Filho do Amanhã- A Dinástia dos Lobos”.

NS - Sabemos que a sua história de vida é marcada por grandes vitórias, como esse sentimento se encontra na sua literatura?

RB - Foram muitas as batalhas, e tive muitos momentos de queda também, por este trabalho eu fui chamado de feiticeiro, satanista e que tinha parte com demônios por saber de tanta informação e não ser uma pessoa instruida no nível Universitário. Todavia, quando achava que a derrota iria me esmagar, eu sentia uma força bondosa, serena e poderosa, que me guiava para a continuidade. E hoje, com o Filho do Amanhã, eu conquistei amigos da mídia como Adela Villas Boas, que é como uma mãe para mim, além de ela ser minha Assessora, é também Jornalista e Promoter de Eventos, aos quais por meio dela, tive o reconhecimento da sociedade, através dos Prêmios que ganhei, o Homem do ano 2011, que ganhei em Setembro, e o Prêmio Mãos e Mentes que Brilham 2012 em Março na Assembléia Legislativa em São Paulo. Sem falar também do meu grande amigo o Dr.João Bortolin, pois sem eles, este sonho estaria perdido no tempo.

NS - Como surgiu a ideia para o livro ‘Os Filhos do Amanhã’?

RB - A saga sempre estava contida em minha mente, apenas foi desabrochando aos poucos. E é fascinante como Deus trabalha na vida das pessoas. Dizem que quando estamos acordados, o cérebro humano desenvolve apenas 20% de sua capacidade. Mas quando dormimos, somos capazes de criar qualquer coisa. Mas o fato curioso, é de quem quando sonha ninguém consegue lembrar do começo ou do meio de seu próprio sonho. É aí que mora a chave de meu mistério, eu consigo catalisar todo o sonho, mais do que isso, a estória me transportar para o tempo dela. Eu sinto o aroma da brisa e do seu toque gelado quando eu me via em uma floresta. Podia apalpar a grama de uma campo ou tocar na perede de pedra de um castelo. Estive em meio as guerras, via e sentia a fúria e o desespero de guerreiros em batalha, podia até sentir o cheiro do sangue dos feridos e dos mortos e ver o suor em suas faces cansadas. Porém, os personagens passavam por mim como se eu fosse um fantasma. Eu não sei dizer ao certo, é como se eu passasse por algum tipo de Projeção Astral. E isso me ocorre todas as noites quando estou dormindo. As imagens e os sons vem a mim, como uma novela, que passa cada cápitulo todas as noites. Então quando este processo termina, misteriosamente sou desperto de madrugada, cerca das 3 ou 4 da manhã. Dai sigo até minha cozinha, e lá passo em páginas tudo o que havia visto.

NS - O seu livro possui muitos detalhes e elementos do período medieval. De onde surgiu a sua inspiração? Você já sabia com antecedência que seria esse período ou isso surgiu durante alguma pesquisa?

RB - Meu trabalho não é igual ao da autora escocesa Joanne Kathleen Rowling – a J. K. Rowling, que de pobre e miserável financeiramente tornou-se milionária, tendo a sua fortuna pessoal estimada em US$ 50 milhões quando decidiu escrever sobre bruxarias e feitiçarias. E nem tão pouco similar como a do escritor  J. R.R. Tolkien, especialista em sagas – contos literários, cujo gênero nasceu na Islândia, logo difundido em outros países nórdicos. As sagas contam as histórias de guerreiros e de clãs que pouco a pouco incorporaram elementos místicos. Tolkien escreveu a famosa trilogia O Senhor dos Anéis, cujo enredo é povoado por elfos (gênio aéreo da mitologia escandinava, que simboliza o ar, o fogo, a terra, etc.) e anões. Meu trabalho é muito diferente disso, ele  é o produto final almejado após longos processos de transformação, na busca de transformar vidas para aqueles que o ler. A doutrina Literária é cunhada e forjada por livros que tocam na alma  – o verdadeiro conhecimento em transmitir ao leitor de que tudo é possível em sua vida, desde que este, exorcize de si o ceticismo e procure aceitar mais a Deus. É neste ponto que quero chegar, tocar no sentimento humano, para que a pessoa que ler esta série cada vez mais aprenda e reflita melhor, fazendo seus dias cada vez melhores. Sendo purificado e não influenciado pelo mundo material.
E que, de certa forma, também enobrece e eleva seu entorno por meio da sua espiritualidade.
E sobre o período medieval, bem, como disse antes, eu fui arremessado neste tempo, o resto eu apenas aperfeiçoei por meio de pesquisas,para não cair em contradição com a história da humanidade.

NS - Qual dica você daria para os novos escritores?

RB - Que sejam perseverantes e nunca desistam de suas obras, pois a cada livro que escrevemos ecoará pela eternidade, pois da mesma forma que uma mulher dá a luz a um filho que nasce saudável e ao mesmo tempo vê a felicidade estampada na face da nova mamãe, assim é o mesmo para o autor que vê sua obra publicada em uma Editora Renomada.

NS - O personagem do livro é um homem marcado pelo bem e pelo mal e enfrenta grandes desafios. A sua decisão pode afetar toda a humanidade. Você vê nesse personagem uma relação com os homens da vida real? Acredita que todos nós temos os dois lados da moeda?

RB - Sim, cada decisão que tomamos hoje afetará o nosso amanhã. Se derrubarmos uma árvore estamos mudando a vida do Planeta, pois aquela árvore além de nos abrigar com a sua sombra, também serve de moradia para aves e esquilos, que não mais existirão, pois seu santuário sagrado foi destruído pelo homem. E todos nós temos uma luz de divindade que Deus nos agraciou, porém temos um lado sombrio, que se esconde no fundo de nosso subconsciente e do nosso coração, que nos instiga a fazer coisas que poderia nos condenar mais adiante, esquecendo-se de que o arrependimento, às vezes, chega que tardio. Pois tudo o que fazemos, tudo o que plantamos, colheremos cem por um.

O AUTOR

Roberto Bombarde, escritor e poeta. Nascido na cidade de Dracena, interior de São Paulo, começou a        escrever aos catorze anos, compondo peças de teatro para sua escola. Participou da Associação do Escritores de Dracena, sendo responsável pelo design da capa do livro de poesias Céu de Flores. O reconhecimento maior veio com o Prêmio Homem do Ano 2011, pelas mãos da jornalista e promoter de eventos Adela Villas Boas, na Assembleia Legislativa em São Paulo. Foi reconhecido como Escritor Revelação, pois a sua obra Filho do Amanhã despertou grande atenção da mídia. Além desta série, que promete surpreender, Roberto tem uma seleta lista de obras, que certamente irão maravilhar a todos.

Deixe um comentário